SÃO CARLOS VAI RECEBER 3.960 DOSES DA CORONAVAC

A Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, recebeu no início da noite desta terça-feira (19/01) a informação de que para esta primeira etapa da campanha de imunização contra a COVID-19 vai receber 3.960 doses do imunizante.
A informação foi repassada pelo GVE Araraquara (Grupo de Vigilância Epidemiológica/Diretoria Regional de Saúde – DRS III) que também declarou que as doses devem ser entregues entre esta quarta-feira (20/01) e sexta-feira (22/01).

Baseado nos números da Campanha Nacional de Imunização contra Influenza, realizada em 2020, quando foram vacinados 33.204 idosos contra a gripe, a Vigilância Epidemiológica de São Carlos solicitou 43 mil doses para vacinar os profissionais da saúde, aproximadamente 10 mil pessoas, acamados, idosos de instituições de longa permanência (abrigos) e idosos até 60 anos.

“O Plano Estadual de Vacinação previa vacinar a partir do dia 25 de janeiro indígenas, quilombolas, profissionais da saúde, idosos acamados e de abrigos e a partir de 8 de fevereiro os idosos com 75 anos ou mais. Até 22 de março todos os idosos até 60 anos deveriam tomar a primeira dose, por isso pedimos 43 mil doses. Como vamos receber bem menos, a ideia é vacinar inicialmente profissionais de saúde que atendem diretamente os pacientes infectados.

Nesta quarta-feira (20/01) vamos ter uma reunião com o GVE para saber mais informações relativas a logística de entrega da vacina e também da previsão para a aplicação da segunda dose”, explicou Crislaine Mestre, diretora de Vigilância em Saúde.

De acordo com o secretário de Saúde, Marcos Palermo, as doses recebidas agora serão aplicadas diretamente nos locais de trabalho dos profissionais da saúde que farão parte desse grupo inicial. “Nossas equipes é que vão aplicar a vacina e fazer a coordenação dessa imunização, porém a ideia e fazer por plantões médicos das unidades. Neste momento as pessoas não devem buscar postos de saúde para a vacinação”, alertou o secretário.

O Governo do Estado deve anunciar nas próximas horas se vai conseguir manter o cronograma inicial ou se ocorrerá mudanças, já que depende de aprovação da Anvisa para uso emergencial de outras 4,8 milhões de doses em fase final de produção pelo Instituto Butantan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *