Catadoras de recicláveis participam de atividade especial realizada pela Prefeitura

Encerrando a programação do mês da mulher, a Prefeitura de São Carlos, por meio das secretarias de Cidadania e Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda, Serviços Públicos e Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação e do Fundo Social de Solidariedade, realizou no último sábado, 30, uma atividade especial para as catadoras da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de São Carlos (Coopervida).

O dia começou com um café da manhã para as catadoras e os filhos na sede nova da Cooperativa, no Jardim São Paulo. Durante toda a manhã elas puderam participar de palestras sobre serviços, cuidados em saúde e o papel que exercem como agentes econômicos e ambientais.

Em parceria com o Instituto MIX foi oferecido um momento de embelezamento a todas, com corte de cabelo e designer de sobrancelhas. Para as crianças muita pipoca, pula pula e cada uma levou para casa um brinquedo oferecido pelo Fundo Social de Solidariedade, que também colocou roupas e calçados à disposição das trabalhadoras.

Para a secretária de Cidadania e Assistência Social, Glaziela Solfa Marques, a ideia da ação foi reconhecer e valorizar a atividade diária desse grupo de mulheres que desempenha um papel muito importante e que, por vários motivos, muitas vezes não tem visibilidade. “Trabalhar com material reciclado significa um impacto extraordinário na qualidade do meio ambiente, uma vez que tudo pode ser separado pela coleta seletiva e reutilizado. No conjunto da ação, também houve uma série de serviços e informações para fortalecer cada vez mais esse grupo de mulheres. Foi interessante, também, porque muitas crianças vieram pela primeira vez ver o trabalho da mãe. E vendo, elas podem enxergar melhor o significado e a importância. Tudo isso agregado é um impulso enorme pra cidadania”.

Vanessa de Paula, uma das catadoras que participou da atividade, achou uma oportunidade muito legal o encontro entre as famílias. “Se eu não pudesse trazer meu filho, eu não poderia participar porque não tenho com quem deixar ele. Nesse aspecto foi uma decisão acertada”. Ela também aproveitou para fazer um alerta e deixar um pedido. “Muito material não é separado pelos moradores ao depositarem o lixo. Vem tudo misturado: fraldas, papel higiênico. Se houver um pouco mais de conscientização do que pode ser reciclado, facilita o nosso trabalho”.

Também participaram da atividade a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Lucinha Garcia, os secretários Mariel Olmo (Serviços Públicos), Walcinyr Bragatto (Trabalho, Emprego e Renda), o diretor de Direitos Humanos da Secretaria de Cidadania e Assistência Social, Fernando Oliveira e a vereadora Cidinha do Oncológico.

A Coopervida existe desde 2004 e hoje tem 48 integrantes. A cooperativa recolhe 30% do material reciclável da cidade, sendo a única cooperativa a fazer este trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.